NOTÍCIAS E ARTIGOS

Aposentadoria tranquila com a Previdência Privada

24/08/2020

Imagem: Pixabay

Pensar em se aposentar pode parecer uma ideia distante para algumas pessoas, principalmente para as mais novas. Porém, por mais que seja difícil falar sobre o tema, o futuro certamente chegará, e aqueles que se prepararam previamente poderão curtir uma aposentadoria mais confortável, com segurança e independência financeira. É o caso de quem investiu em um plano de previdência privada, principalmente porque, diante de tantas incertezas em torno da Reforma da Previdência Social, depender do INSS pode não ser suficiente para garantir uma terceira idade tranquila.

Segundo o diretor do Sindicato das Seguradoras Norte e Nordeste (Sindsegnne), Henrique Jenkins, a previdência privada é um investimento de longo prazo que traz diversas vantagens para o beneficiado. “Os planos têm uma vantagem tributária que é a isenção do chamado come-cotas. É a antecipação do imposto de renda sobre os ganhos acumulados pelos fundos de investimento. Diferente dos fundos multimercados e dos fundos de renda fixa, essa cobrança fica de fora das taxas da previdência privada”, explica.

Outro ponto relevante é a flexibilidade que o produto traz. É possível fazer a portabilidade de planos, de fundos e de seguradora sem ter que resgatar o valor ou pagar o IR para reaplicar o valor através das portabilidades. A mudança costuma ser interessante para conseguir taxas melhores e se adaptar a diferentes cenários econômicos sem comprometer a rentabilidade do investimento. “A previdência privada também garante uma liquidez totalmente facilitada, sendo possível contratar uma renda ou programar saques esporádicos, com a estratégia ficando por conta do contratante”, completa Jenkins.

Em caso de morte do beneficiário, o patrimônio acumulado é transferido sem burocracia para os herdeiros, sem entrar em inventário. Em alguns casos, há isenção de imposto de transferência de riqueza (ITCMD). A escolha e o percentual para cada beneficiário é livre, desde que respeitada a herança legítima. “A transferência pode ser executada sem a necessidade de advogados e acaba saindo de forma muito mais rápida”, diz o diretor.

Os planos de previdência atendem a todos os tipos de pessoas, das mais conservadoras às mais arrojadas. Isso ocorre porque eles usam aplicações em diferentes tipos de fundos e diferentes estratégias. Um dos planos é o VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livres), ideal para quem faz a declaração simplificada do IR ou é isento. Os recursos são investidos integralmente no FIF (Fundo de Investimento Financeiro). Nele, não há garantia mínima de rentabilidade, e sim o repasse de 100% do rendimento obtido.

Outro tipo de plano é PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livres). Ele permite deduzir as contribuições da base de cálculo do IR até o limite de 12% de renda bruta tributável anual do beneficiário, ou seja, tudo que ele ganhou no ano como seu salário, aluguéis, pensões, entre outros. Nele, o repasse também é de 100% do rendimento obtido.

“Ao decidir pela previdência privada, é necessário estudar e entender todos os detalhes dos planos ofertados pelo mercado. Cada um deles oferece taxas de administração diferentes e rentabilidades diversas, por isso é preciso entender bem antes de escolher o que mais se adequa ao seu perfil e necessidade. Por isso, para o cliente, consultar um corretor de seguros faz toda a diferença”, completa Henrique Jenkins.