Sindsegnne

Com uso de IA, seguros empresariais podem gerar economia nos negócios

A introdução da Inteligência Artificial (IA) nos seguros empresariais está transformando a gestão de riscos e a proteção de ativos. Ao utilizar análise preditiva, automação de processos e personalização de políticas, a IA possibilita avaliações mais precisas de riscos, redução de custos administrativos e respostas ágeis a eventos imprevistos.

Especialistas destacam que essa inovação representa uma mudança positiva na eficiência operacional, resultando em economias significativas para os negócios. O seguro empresarial é projetado para proteger as empresas contra riscos e perdas financeiras, proporcionando cobertura em diversas situações.

Adaptado às necessidades específicas de cada empresa, ele possibilita a minimização de prejuízos e a continuidade operacional mesmo diante de eventos como o que ocorreu com a empresa Cacau Show, no Espírito Santo, que teve sua linha de produção afetada, devido a um incêndio na fábrica, comprometendo 19% da produção total da empresa.

Em episódios como esse, o mercado de seguros oferece diversos produtos que podem proteger empresas que estão expostas a grandes riscos, com apólices de análise de risco aprimorada, precificação personalizada, análise preditiva para sinistros, automação do processo de emissão, entre outros.

Segundo Castelano Santos, CEO da insurtech Tech Trail, destaca o impacto positivo dessas ferramentas na experiência do cliente: “Ferramentas com análise de dados aprimoram a experiência de compra do cliente, tornando-a mais intuitiva e eficiente, além de proporcionar uma jornada do cliente mais fluída. Com essa abordagem, também é possível controlar os riscos e gerar uma economia de despesas operacionais”, explica o especialista.

Ao implementar soluções baseadas em IA, as seguradoras podem melhorar significativamente a eficiência operacional, reduzir riscos, oferecer produtos mais personalizados e, em última análise, gerar economia tanto para as empresas seguradas quanto para as próprias seguradoras.

A capacidade de adaptação da Inteligência Artificial, destacada por análises preditivas, automação de processos e personalização de políticas, reflete não apenas em respostas ágeis a eventos imprevistos, mas também em uma mudança substancial nos custos administrativos. Essa inovação protege ativos, além de fortalecer a resiliência das empresas, como evidenciado nos momentos desafiadores enfrentados por grandes organizações.

Fonte: Revista Apólice

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *